Sinopse: Por que motivo a extensão pública de Moçambique suspendeu a implementação do Programa Nacional de Extensão Agrária (PRONEA)?

Hélder Gêmo, Pius Chilonda
mozssp policy note
2015

A agricultura desempenha um papel crucial na segurança alimentar e na redução da pobreza em Moçambique, contribuindo 25 por cento do produto interno bruto do país durante o período de 2007 a 2010. Contudo, apesar do importante potencial agroecológico do país e da necessidade de aumentar a produção, a produtividade agrícola em Moçambique continua a ser baixa. O fosso que continua a existir entre a produção doméstica de alimentos e a procura, assim como os atrasos verificados nas exportações, representam desafios importantes. No âmbito dos esforços para resolver esses desafios, o governo e outras partes interessadas do setor agrícola reconheceram o papel crucial que os serviços de extensão têm no aumento da produtividade. Em 2007, lançaram um programa de extensão nacional com um prazo previsto de oito anos, o Programa Nacional de Extensão Agrária (PRONEA), a ser implementado pela Direcção Nacional de Extensão Agrária do Ministério da Agricultura (MINAG-DNEA).